CONTEÚDO SÓLIDO

O estado sólido é um estado da matéria, cujas características são ter volume e forma definidos (isto é, a matéria resiste à deformação). Dentro de um sólido, os átomos ou as moléculas estão relativamente próximos, ou "rígidos". Mas isto não evita que o sólido se deforme ou comprima. Na fase sólida da matéria, os átomos têm uma ordenação espacial fixa, mas uma vez que toda a matéria tem alguma energia cinética, até os átomos do sólido mais rígido movem-se ligeiramente, num movimento "invisível".

e se vai no vento e se vai



algumas coisas caíram do meu mural

algumas roupas não estão mais no meu varal

e quando o vento passou

foi carregando tudo que via pelo caminho

e foi levando pra longe

pra onde meus olhos não mais podiam alcançar

aonde o vento passou tudo mudou

nada é mais o mesmo depois daquela tempestade

o que sobrou tenta se refazer

mas isso é um custo e tanto

a força pra resistir a este vento é tamanha

que se supreende até mesmo quem se esforça,

e se preparam e imaginam que hoje fará sol

o céu vazio de nuvens

afirma que hoje fará sol

e fazem planos para o dia

para o mês, para o ano

escolhem nomes, festas, flores

e chega o vento e nada mais fica no lugar

e muda a cena, muda o palco e os atores

nada mais é o mesmo depois da tempestade

nada permanece igual

tudo muda

o tempo todo

e se vai,

no vento,

e se vai

ele estava lá...



Só você o viu se mexer, só você o sentiu e você está certa de que ele está lá, ele está lá. Você tanto quis conceber, e imagina como vai ser seu bebê. Você sabe que ele está lá, ele está lá. Você o sente, você o vê, e o seu corpo mudou tanto, você só pode estar mesmo grávida. Seus seios estão enormes, sua menstruação não desce a bastante tempo, seu abdômen cresce, e sua barriga se vê. Você sente o peso, você sabe que ali tem um bebê. Ninguém pode imaginar como você está feliz, como você o quis e agora ele está lá, ele está lá. Você está louca pra contar pra todos que vai ser mamãe. Já comprou roupinhas, já planejou o quarto e vai ficar lindo, mal pode esperar. Você está ansiosa, são tantos detalhes a se pensar. De qualquer forma, será uma bela criança. Já pensou em alguns nomes, se for menina vai ser Mariana, Talita, Vitória, é acho que vai ser Vitória, era o nome da sua bisavó, você sempre gostou desse nome. Mas ser for menino será Joaquim, é um nome antigo, mas muito bonito. Imagine como vai ser quando ele disser a primeira palavrinha, quando ele começar a andar, a fazer arte, correr sem parar. Vai ser mais uma alegria pra sua familia. Seu marido insiste pra você procurar um médico, mas você está feliz e se sente bem, não vê motivos para se preocupar. Acompanha o crescer da sua barriga e com o tempo percebe que falta muito pouco pro bebê nascer. Conclui que tem pouco tempo, então corre para as compras, berço, carrinho, fraldas, nada pode faltar. Você organiza tudo com tanto carinho, melhor mãe essa criança não podia encontrar. Sente algo escorrer pelas pernas e logo pensa que a hora chegou. Corre para o hospital. Te fazem muitas perguntas que você não tem nem idéia de como responder. Você meio zonza chama o médico e pergunta: "doutor como está o meu bebê?", ele te olha com um olhar cansado, afinal, já era madrugada, e diz: "volta pra casa, não existe nenhum bebê".



pseudociese, já ouviu falar?

roupas velhas,




Quando eu me for, talvez me conhecerão os que aqui ficarem. Meus diários serão expostos num varal qualquer. Não serão roupas limpas penduradas num arame, terão algumas manchas, eu sei. E lá ficará até alguém se dar conta do mal cheiro delas. Ficará lá até que alguém perceba que eu me fui. Algumas pessoas quererão conhecer mais delas. Sentirão o cheiro de longe. No final, alguns se agradarão das pesquisas, mas a medida que se aprofundarem nelas, se decepcionarão, de fato. Mas não sejamos pessimistas. Sei que aqueles que sentiram algum carinho que seja por mim, cuidarão de preservá-las, roupas velhas e sujas, sei que são, mas será o que restará de mim. Essas roupas que por muito me esconderam, sim, esconderam minha nudez. Roupas de todo tipo, das casuais as roupas finas, cada um revelava um momento meu. Vezes eu mostrava a nudez das minhas pernas, vezes eu escondia a nudez do meu ombro. Aquelas roupas ora penduradas, vão revelar a morte, mas também hão de revelar lembranças, de uma vida.



Quer saber, um dia se esquecerão delas(não do varal, que continuará lá, a espera de roupas novas). Roupas velhas não deixarão de ser. Um dia alguém se incomodará com o cheiro. E as colocarão pra lavar. Sabão em pó, água, detergente, álcool, fogo,



fim.

Brasil! Mostra a tua cara!


Quem nunca ouviu falar do famoso jeitinho brasileiro? Quem nunca levou vantagem em alguma situação? Já dizia minha avó “a unha só coça pra dentro”. No final das contas, o meu umbigo é que importa ou estou errada?

É desse jeito que o país prossegue, é nesse samba que o país se afunda. É a famosa 'Lei de Gerson', aquela que mesmo não sendo escrita, tem mais valor que qualquer artigo da Constituição. Aquela que te faz aproveitar todas as situações para beneficio próprio. Um documento falso aqui, um subornozinho ali, ou você prefere pagar aquela multa indesejada e levar pontos na sua carteira de motorista?

É desse jeito mesmo, e começa cedo, começa na escola furando a fila do lanche, colando do colega de classe, falsificando a assinatura dos pais nos boletins e advertências, ou você preferia ficar de castigo?

E não vamos culpar Gerson, ele não é o único. Apesar da expressão ser vinculada a pessoa do jogador, ela pode muito bem ser vinculada a qualquer um de nós, pode muito bem ser a Lei da Maria, Lei da Joana, Lei do José, Lei do Fulano, Lei do Sicrano, não importa, é a Lei do Ser Humano. É a lei do ego, a lei do umbigo.

Mas até vão os limites, até onde vai o desrespeito ao próximo? Até onde “jeitinho brasileiro” é sinônimo de esperteza? E não me venha falar dos políticos corruptos. Acaso você não segue a mesma lei? Ou você acha mesmo que subornar um policial no trânsito não é tão errado quanto subornar um juiz num tribunal? Não é tudo suborno? Não é tudo corrupção? Não é tudo “jeitinho brasileiro”?

Levar vantagem em cima da liberdade alheia nunca foi beneficio. Seu direito não pode, de maneira alguma, impedir o direito de outrem. A Constituição não afirma que “todos são iguais perante a lei”? Porque ainda nos comportamos como leões disputando território?

Deviamos parar de achar graça desse tal “jeitinho brasileiro”.Ou você acha mesmo que é uma piada quando alguém ultrapassa você numa fila do banco? Você ri quando você chega cedo pra conseguir sentar na frente e alguém coloca uma cadeira justamente na frente da sua? Você realmente acha engraçado quando alguém rouba o lanche do seu filho na escola? Não é engraçado. Nunca foi engraçado. Nunca foi esperteza. O nome disso é “pilantragem”, desrespeito, desonestidade, falta de ética, ou qualquer outra coisa, mas nunca esperteza.

O brasileiro tem muito pelo que se destacar. E sua desonestidade não deveria ser sua marca. O carioca não precisa ser visto como o “malandro”. Ainda existe ética, ainda existe moral. Ainda existem principios. E viva a Constituição! Por uma sociedade livre, justa e solidária!