CONTEÚDO SÓLIDO

O estado sólido é um estado da matéria, cujas características são ter volume e forma definidos (isto é, a matéria resiste à deformação). Dentro de um sólido, os átomos ou as moléculas estão relativamente próximos, ou "rígidos". Mas isto não evita que o sólido se deforme ou comprima. Na fase sólida da matéria, os átomos têm uma ordenação espacial fixa, mas uma vez que toda a matéria tem alguma energia cinética, até os átomos do sólido mais rígido movem-se ligeiramente, num movimento "invisível".

De prisões a prisões

Anseio uma tal liberdade. Para que se encontre libertação é preciso antes saber a prisão onde se está, encontrar as chaves, ou até mesmo usar de força para quebrar as fechaduras.

Já me libertei de uma: sutiãs. Eles são terríveis prisões. Um pouco mais aliviada agora, um pouco mais livre.

Como animais acuados o ser humano busca ser livre, livre dessa escravidão que lhe impuseram e que ele também se impôs. No álcool, nas drogas, no sexo, nas amizades, as buscas são sempre as mesmas: liberdade. Mas será mesmo que é essa a liberdade que se busca? Não mesmo, são apenas novas prisões. Cria-se um mundo dentro de outro pra se fugir daquele de que cansamos. Cria-se uma nova prisão a cada dia, fugindo de prisão em prisão, de prisão para prisão.

Consigo ainda acreditar que a maior das prisões que podemos encontrar são nossas mentes. Moldadas, quase sempre, são prisões. Ou você acredita mesmo que sua mente é livre? Seus ideais são realmente originais? Ou são moldados pelo seu estilo de vida, sua criação, seus educadores?

Máquinas do estado. É pra isso que nascemos: para ser máquinas do estado. Para produzir, consumir, destruir. Para plantar, colher, comer, morrer. Meras máquinas, para jamais pensar.

Pensamento induzido, ao preconceito criado e moldado. Liberdade é só mais uma palavra, mais uma prisão. Trabalhamos toda a semana e aos fins de semana, a cerveja esperada. Liberdade? Ou só mais um biscoito pra cachorro? Uma compensação talvez, ‘bom trabalho, garotão’.

Engraçado se falar em liberdade, vivendo em labirintos infindos.

Somos os pés das chinesas, comprimidos, pequenos, limitados, sem ar, sem vida. Eu tenho que fazer isso. Espera quem disse isso? Eu não tenho que fazer isso.

Forçados a fazer o que nascemos vendo ser feito. Não se quebra uma tradição, não é mesmo?

Costumes, laços, algemas, prisões.

E ainda anseio a tal liberdade.

1 SOLTEOVERBO:

"Querida, como eu sonho em ser livre desde o meu nascimento..."

 

Postar um comentário